Reintegração de posse de área com 300 casas continua nesta sexta-feira

PM classificou primeiro dia de operação como pacífico, sem resistência. 
Demolições desta sexta ocorrem no Morro da Caixa d'Água, diz PM.

 

Fonte G1 SC

Reintegração de posse de área com 300 casas continua nesta sexta-feira (Foto: Reprodução/RBS TV)Reintegração de posse de área com 300 casas continua nesta sexta-feira (Foto: Reprodução/RBS TV)

Nesta sexta-feira (17), a Polícia Militar dá continuidade à operação de reintegração de posse iniciada na quinta (16) para remover 300 casas construídas ilegalmente em áreas da prefeitura de Camboriú, no Litoral Norte catarinense. Dos quatro locais, que ficam no bairro Monte Alegre, três tiveram residências demolidas na quinta. Nesta sexta, as demolições ocorrem em um ponto conhecido como Morro da Caixa d'Água.

A PM classificou a operação de quinta como pacífica, sem a necessidade de emprego de força. Para o trabalho, foram mobilizados policiais da cavalaria, dos batalhões de choque e de aviação, além do canil da corporação numa operação planejada durante dois meses, que reuniu 209 homens.

Segundo a PM, os proprietários foram notificados da reintegração e tiveram um prazo para sair do local. Ao todo, ao menos 500 moradores do local foram cadastrados pela prefeitura.

A ação contou com oficiais de justiça, assistentes sociais, conselho tutelar, bombeiros, além de outros profissionais.

PM classificou primeiro dia de operação como pacífico (Foto: Reprodução/RBS TV)PM classificou primeiro dia de operação como pacífico (Foto: Reprodução/RBS TV)

A maioria das casas era de madeira e tinha até quatro metros quadrados. Retroescavadeiras da prefeitura auxiliaram na demolição das residências. Ainda de acordo com os policiais, algumas casas estavam vazias, o que facilitou a reintegração.

Inicialmente, os moradores do primeiro morro, onde começou a operação, tentaram resistir e  colocaram fogo em madeiras no meio da rua. Depois, houve uma negociação entre policiais e moradores e a situação foi pacificada, conforme a PM.

De acordo com a corporação, alguns moradores foram levados para a casa de parentes, outros, vindos de fora da cidade, foram orientados a retornar para seus municípios e os que não tinham para onde ir foram alojados provisoriamente no ginásio de Camboriú.

A expectativa da PM é que a reintegração seja concluída até o fim desta sexta.

Prefeitura de Camboriú disponibilizou dois abrigos para as famílias (Foto: Reprodução/RBS TV)Prefeitura de Camboriú disponibilizou dois abrigos para as famílias (Foto: Reprodução/RBS TV)

Abrigos
A prefeitura de Camboriú disponibilizou dois abrigos para as famílias, onde receberão alimentação por cinco dias. O município oferece também caminhão de mudanças para o transporte de móveis e, caso não tenham para onde levá-los, serão etiquetados e armazenados para que os proprietários possam retirá-los no futuro.

Segundo a administração, os locais em que as casas foram construídas são terrenos da prefeitura que não recebem equipamentos urbanos, um deles é uma área verde e outro é uma estrada. Neste, algumas casas foram construídas sobre vias e calçadas. Para evitar novas invasões, a defesa civil estuda fazer o cercamento das áreas.

Moradores foram notificados sobre a reintegração  (Foto: PM/Divulgação)Moradores foram notificados sobre a reintegração (Foto: PM/Divulgação)